quarta-feira, 12 de maio de 2010

3º Congresso Espírita Brasileiro


Mensagem de Chico Xavier psicografada pelo médium Wagner da Paixão, por ocasião
do 3º Congresso Espírita Brasileiro, em Brasília.


Na luz do amor
Meus queridos irmãos e distintas irmãs no ideal com Jesus,
Supliquemos juntos ao Senhor as dádivas do entendimento e da paz, da fé e do amor fraternal.
Ante a infinita misericórdia de nosso Pai, manifesta entre nós, em luzes e bondade inexcedível.

Temos a considerar por gratidão e conhecimento a amizade sincera que devemos uns aos outros. O esforço para adoção da mensagem de amor do Evangelho e o trabalho que enobrece os dias, a vida interior, sempre louvando a Deus.
Vemos as manifestações dos generosos corações que em nós pequenino candidato a luz cristã enxergam o que compete esplende em Jesus, Nosso Senhor. E a nossa gratidão profunda pelo cunho de bondade e ternura, verdadeiro estímulo ao nosso coração ainda imperfeito a nos propor o prosseguimento da grande luta pela renovação de nós próprios à Luz do Evangelho.

Não utilizamos aqui nestas notas de reconhecimento e gratidão, o efeito convencional do pensamento humano divorciado do amor a Deus. Não, salientamos a verdade, que se estampa na vida, que passamos entre sacrifícios e lágrimas, fé e serviço a descobrir o sublime usufruto. Todos os nossos desentendimentos na Terra são ainda nódoas de nossas tendências inferiores, quais sombras transitórias entre claridades inapagáveis do amor Divino.

Na jornada espírita cristã, os desafios sempre correm por conta de nossas imperfeições. Digo-lhes isso com a sinceridade depreendida das experiências que nos assinalaram os anos de abençoado aprendizado e labor entre o mundo físico e o espiritual.

O Chico que vocês todos identificam com a inalterável bondade das suas almas tão queridas, não é mais que a projeção dos potenciais que brotam belos e imorredouros de seu sentimento já convertido à Nosso Senhor Jesus Cristo.
O nosso encargo no Espiritismo alcança níveis de responsabilidades muito altas. Porque todas as aberturas da sociedade humana, a sublime revelação que nos chegou com Allan Kardec, nos requisitam o esquecimento de tudo aquilo que em nós se assemelha a impedimento, a adulteração dos excelsos propósitos evangélicos então redivivos pelos ensinos dos espíritos.

A mais expressiva manifestação do amor é a fé, que nos corrige dos vícios, que nos soergue nos dramas e provações de toda ordem, que nos aponta o Senhor no cume do monte, que se alteia cada vez mais, pelo mecanismo da evolução e do progresso. A ventura dos que efetivamente compreendem a doutrina dos espíritos está em servir. Porque servindo sem exigências, sem elitismo, sem a sombra dolorosa das vaidades e do orgulho, exercitamos o dom do amor. Não há outro meio meus irmãos, de ver e sentir Deus por dentro do próprio ser.

O cisco que lhes fala neste instante, ainda e por muito tempo necessita das preces amorosas e amigas de todos vocês. Uma encarnação iluminados pela Doutrina e buscando a própria educação nas disciplinas libertadoras é um passo expressivo, mas não a santidade, consoante muitos pensam. Respeito a todos é o principio elementar da subida. Não reconhecemos autoridade em quem não ama, excluído dos propósitos divinos. Mas quando o silêncio nos freia os impulsos primários e a paciência nos versa sobre a sabedoria de Deus, o verdadeiro entendimento do que o Espiritismo nos revela, nos torna melhores e nos capacita a secundar os bons espíritos nesta escalada que segue para o infinito da criação revelando-nos Deus.
Amemo-nos uns aos outros meus irmãos, sem competições, sem vaidades, sem presunção, sem desprezo ao que nos ensinou Jesus em sua missão redentora de nossos velhos e perigosos hábitos humanos.

Sobre o nosso Brasil paira a benção da mais grave responsabilidade, a da vivencia do evangelho puro e simples, em que a fé e a caridade, dando-se as mãos, ilustre para todos os nossos irmãos em sofrimento e negação a presença de Deus.
Nós agradecemos com a alma e o coração empenhados no compromisso de servir e amar. Porque a mais alta distinção de um filho de Deus Altíssimo é fazer a sua augusta vontade em todos os lances e ocorrências do caminho. Suplico ao nosso anjo maternal, nossa Mãe Santíssima que a todos abençoe em nome Dele, o Senhor e Mestre, nosso governador planetário.
Que nossos Benfeitores de sempre, a serviço de Ismael no Brasil e em favor de todo mundo nos inspirem hoje e em todos os dias que virão à compaixão e a amizade, a confiança e abnegação.

Obrigado meus amigos tão queridos. A homenagem dos corações segue para Jesus. Como todas as nascentes fornecem a água que repousara nos oceanos, sirvamos sem desalento e sem exigência, porque o amor é nosso premio supremo falando de Deus ao nosso ser.


Do menor servidor e amigo de todos,
Chico Xavier