segunda-feira, 8 de julho de 2019

Palestra no Centro Espírita Nova Vida




Todo mundo passa por momentos de altos e baixos, por exemplo, a perda de um ente querido, doenças, dificuldades financeiras, etc. Como podemos lidar com sofrimentos como esses?

Jesus, em Mateus, cap. V, v. 5, disse:
“Bem-aventurados os que choram, pois que serão consolados.”
Como é possível alguém ser bem-aventurado, quando ainda chora?

O choro é causado pelo sofrimento, é muito difícil uma pessoa atingir a maioridade sem passar pelo sofrimento, Jesus ofereceu consolo para essas pessoas. E ainda, é possível reagir através de dois tipos de comportamentos: resignação e resistência.

De acordo com dicionário Aurélio, a palavra resignação é definida como “submissão paciente aos sofrimentos da vida”, já a palavra “resistência”, apresenta o seguinte significado: força que defende um organismo do desgaste de doença, cansaço, fome, etc. Com isso, pode-se concluir que a resignação diz respeito ao comportamento passivo,  e a resistência é um comportamento ativo, ou seja, que busca soluções para acabar ou diminuir o sofrimento.

O que o espiritismo diz sobre a dor?

De acordo com a doutrina espírita tanto a dor como o sofrimentos são passageiros | temporários. Sendo assim, eles podem ser melhorados por meio de mudanças de hábitos, ações e atitudes. E ainda, o espiritismo ensina que em nosso atual estágio evolutivo, temos a necessidade da dor e do sofrimento para que assim possamos progredir espiritualmente.

Diferenças da dor e sofrimento

O sofrimento está relacionado com a dor física ou moral. Segundo a doutrina, ele diz respeito ao modo pelos quais nos reequilibramos perante a harmonia divina, que tem como base a lei do amor. E como isso ocorre? Por meio da dor.

Na obra O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, apresenta orientações sobre o sofrimento e suas causas anteriores.

Venha participar dessa palestra, convidamos a todos.

Nenhum comentário: